Yik Yak, a rede social “tóxica”, está de volta

74

O controverso aplicativo de rede social Yik Yak está, não sabemos como, de volta. Há quatro anos, ele foi encerrado por devido body shamming (termo que diz respeito à envergonhar os corpos) e ao conteúdo racista.

Crédito: techcrunch.com

O aplicativo caiu na obscuridade por ser responsável por muitas denúncias preconceituosas, bem como assédio sexual, ameaças de violência armada e assassinato.

O aplicativo Yik Yak foi desenvolvido pelos estudantes da Universidade Furman Tyler Droll e Brooks Buffington e se tornou popular em 2014. Naquela época, foi avaliado em 400 milhões de dólares. Este aplicativo permite que os usuários criem, visualizem e comentem os tópicos de discussão.

Crédito: mashable.com

Os usuários podem compartilhar o conteúdo entre si dentro de um raio de 5 milhas. Os usuários também podem subir ou descer o conteúdo dos favoritos. Mas devido a alguns conteúdos racista, assédio sexual e assassinato, várias escolas proibiram o aplicativo.

Toda rede social tem um lado ruim. As pessoas estão passando mais tempo online durante esta pandemia. Notícias falsas ou postagens contendo comentários preconceituosos podem espalhar a violência. As empresas de redes sociais estão tentando encontrar um equilíbrio entre a liberdade de expressão e o conteúdo regulador.

Crédito: blancandotus.com

O site da Yik Yak explicou que a plataforma está agora sob nova gestão. É esperado que eles possam pegar os piores elementos das mídias sociais de hoje e impedi-los desta vez.